Desenho Realista no papel sulfite? – Charles Laveso

E aí pessoal, tudo bem? Estamos aqui em mais uma participação nossa, aqui no canal do youtube, e antes de mais nada, gostaria de pedir que você deixasse o seu like nesse vídeo, para contribuir com o nosso canal e se inscrevesse, caso você ainda não é inscrito, ativando as notificações, e estando sempre por dentro de tudo o que a gente vem postando aqui, com novidades, dicas, tutoriais, speeddrawing, enfim, tudo que diz respeito ao nosso universo do Desenho Realista A gente está postando aqui no nosso canal semanalmente

Hoje eu quero falar um pouco, a respeito do mito do papel que a gente utiliza para desenho, e pra falar disso, eu quero mostrar um desenho que eu fiz, que foi esse último desenho aqui, meu trabalho, feito em papel sulfite, papel de 75 gramas, a gramatura dele, e bem fininho, depois de pronto passei o verniz fixador, e eu quero falar um pouco dessa experiência; Porque que é possível desenhar no papel sulfite? E porque, também, muita gente acha que não é possível? Quais são os os bloqueios, o que é verdade e o que é mito a respeito desse tipo de papel, sobre a qualidade do papel em relação ao resultado do trabalho realizado Fica com a gente aqui, que você vai saber mais sobre isso [Música] Bom, antes de mais nada, é bom lembrar, também, que a gente tem o nosso Curso Virtual de Desenhos Realistas, que você pode se inscrever a qualquer momento e participar, assistindo a vídeo aulas que são previamente gravadas, narradas, mostrando detalhadamente, cada detalhe que eu faço no meu desenho, (detalhadamente cada detalhe) ficou um pouco redundante mas é isso, onde eu mostro cada parte que foi feita no trabalho e você aprende muito observando os detalhes sendo feito, o processo sendo realizado, porque eu aprendi assim e acredito que qualquer pessoa pode aprender Bom, falando do papel, eu, quando comecei a desenhar, comecei trabalhando com o papel Canson, um papel com a gramatura de 140 gramas por metro quadrado Para quem não sabe o que é a gramatura do papel, é a espessura, ou melhor, é o peso do papel por metro quadrado

E, obviamente, se é o peso do papel, isso interfere na sua espessura, ou seja, quanto mais grosso o papel, mais ele vai pesar por metro quadrado, e assim aumenta então esse número que identifica a gramatura do papel é aquele: g/m2 ali Então, isso identifica a espessura, isso não tem nada a ver com a granulação do papel, ou seja, não tem nada a ver ele ser mais poroso ou mais liso, ele pode ser mais grosso e ao mesmo tempo ser liso, assim como ele pode ser granulado, isso depende da qualidade do papel, está tudo especificado na na capa do bloco, ou no plástico que vem embalado o papel Tem aqueles que são grãos finos, que são ditos assim, que são os mais lisos, e tem aqueles mais grossos, que são mais porosos, que deixa um trabalho mais rústico E a gente busca muito isso, a espessura do papel, porque quando a gente trabalha com grafite, a gente vai passando o lápis várias vezes, pra alcançar uma parte mais escura do desenho, como por exemplo, o cabelo dela, aqui embaixo eu utilizei bastante o grafite, e com isso, quando o papel é muito fino, ele começa a saturar, e aí começa a ficar ondulado, não fica legal o desenho

E eu sabendo disso nesse papel, sendo ele mais fino, eu passei mais leve o lápis, um lápis escuro, um lápis 5B, ou até mesmo a lapiseira 4B, com grafite 05 4B, e passava o pincel, porque aí eu não precisava forçar o grafite, e com isso, não saturava o papel Então eu utilizava ele mais leve e depois espalhava com o pincel, ajudava penetrar o grafite no papel com o pincel Isso resultou num trabalho mais escuro, numa qualidade bem bacana de contraste, considerando que é um papel muito fino, não ondulou, não saturou, e teve muita facilidade de espalhar Então eu considero assim; o papel que a gente utiliza para o desenho, está em função da compreensão que a gente tem e do material, ou melhor, do material não, da compreensão que a gente tem e da prática que a gente adquiriu, da experiência que a gente adquire por meio da prática

E isso, quando você trabalha com um tipo de material, ele tem que te oferecer uma possibilidade de alcançar resultados, de acordo com aquilo que você compreende, ou seja, eu costumo sempre dizer que o primeiro passo para conseguir um trabalho bacana, é a compreensão Eu até comparo que essa compreensão, ou essa forma de entender, é o software da coisa, depois vem a prática, ou seja, o hard work, o trabalho duro, é a prática mesmo, é você debruçar e experimentar, experimentar diversos tipos de papéis, experimentar colocar em prática aquilo que a sua compreensão já alcançou Com isso, você vai desenvolvendo uma habilidade própria sua, ou seja uma identidade no trabalho que você realiza E só por último, o material, o hardware da coisa, ou seja, se você tem o software atualizado, o hard work, que é o trabalho duro, e você tem o material, que é o hardware, você vai fazer esse hardware trabalhar de acordo com a atualização que já está aqui dentro, ou seja, você alcança resultados de acordo com a compreensão que você obteve E aí não há limites, porque essa compreensão, faz com que você encontre caminhos, de acordo com material que você utiliza, para conseguir alcançar resultado

Então, esse lance de que; Ah, esse papel é bom pra desenhar, esse papel não é bom pra desenhar, é um mito, ok? Isso tudo está aqui Eu vou dar um exemplo prático Eu não gosto do papel Mi-teintes para desenhar, porque eu acho ele muito poroso e eu acho difícil alcançar um resultado muito realista nele Porém, eu já tive que fazer trabalhos nele, e eu não tinha opção, porque a cor que eu precisava do papel, eu só encontrava no papel Mi-teintes Então, o que eu fiz: eu trabalhei nele, só que vendo que ele era muito poroso, eu trabalhava com lápis mais duros, ou seja, eu já tinha a compreensão, eu tinha o conhecimento do material, à prática, e aí eu fiz com que esse conhecimento e essa prática, trabalhassem em função do resultado que eu queria alcançar com o material que eu tinha disponível pra mim

E eu, fazendo isso, alcancei o resultado que eu precisava, ou seja, tudo está na sua forma de entender como o material funciona Quando você entende, você trabalha num papel fino, sem saturar; você trabalha num papel poroso e granulado, sem deixar o desenho rústico; você trabalha num papel liso, onde é difícil alcançar uma tonalidade mais escura, conseguindo alcançar uma tonalidade escura, sem ter muito trabalho, ou seja, tudo é resultado da compreensão e da experiência que você adquire por meio da prática Então não tem desculpas, fique aí, vendo o resultado que eu alcancei com esse desenho, o passo a passo que eu fui fotografando, pra você ver como ele se deu e como chegou nesse resultado que chegou Não tem muito o que eu dizer Espero que você gostou desse vídeo

Num próximo vídeo a gente vai estar tratando de um assunto relevante também, e como eu já disse no início, falo mais uma vez; se inscreva no nosso canal, deixe o seu like, você vai contribuir muito para a evolução da nossa mensagem a respeito da Arte do Desenho Realista Te vejo num próximo vídeo, Até mais! [Música] pô