Prática – Como usar o lápis no Desenho Realista – Charles Laveso

E aí, tudo bem? Seja bem vindo a mais um vídeo nosso aqui no canal do youtube e hoje eu quero mostrar na prática a respeito do uso dos lápis, a posição do uso dos lápis para conseguir alcançar um resultado mais suave e preciso no desenho realista Na verdade o vídeo anterior a esse, eu tratei desse mesmo assunto, só que de uma forma muito teórica, só falando realmente como que a coisa funciona, como que eu faço, como que eu indico a maneira melhor de alcançar esse tipo de resultado

Só que aí, nos comentários, muita gente pediu para que eu mostrasse isso na prática, então eu tô fazendo esse vídeo para mostrar realmente como que é a forma que eu trabalho com os meus lápis, do tipo de ponta que eu deixo para poder alcançar um resultado mais suave, mais preciso no sombreamento e assim conseguir um trabalho mais limpo Vale lembrar que a gente tem um curso virtual voltado para o desenho realista e se você quiser saber mais, basta clicar no link na descrição desse vídeo Se você gostar desse vídeo aqui, deixa o seu like, se inscreva no nosso canal e ajuda compartilhar essa arte que tem crescido muito nos últimos tempos Outra coisa, durante o vídeo você vai ver que eu aponto o lápis com um apontador de manivela e muita gente chega aqui no meu canal e não sabe que eu tenho uma deficiência física, eu não tenho o antebraço direito, então, na hora que for ver eu apontar lá, vai ver eu colocando o braço e muita gente que não conhece, vai estranhar e falar: O que ele está fazendo e o que é isso e tal? É apenas uma deficiência física que não me impede de fazer o trabalho que eu faço Fica com a gente nesse vídeo que vai ser bem legal

Vamos lá! Bom, aqui eu quero começar mostrando uma ponta que é o estilo de ponta que a maior parte dos desenhistas usam, ou pelo menos o pessoal que está começando a desenhar, que é essa ponta mais gasta, apontada com um estilete e que produz um traço mais grosso e ao mesmo tempo rústico Eu quero explicar um pouco o que eu quero dizer com rústico Quando eu me refiro a essa forma de sombreamento, o rústico que eu digo é quando fica granulado Você percebe que fica pontinhos brancos no meio do sombreamento, e esses pontinhos brancos são os poros do papel que o lápis, por estar com a ponta grossa, não penetra nesses poros do papel É a mesma coisa se eu pegar um lápis com ponta mais fina e usar ele deitado, porque quando eu uso ele deitado, a ponta também não está penetrando no papel, nos furos do papel, e ele acaba ficando poroso também Essa palavra poroso, ou rústico, no caso, se refere aos poros do papel que fica granulado, então essas três palavras eu uso muito e que basicamente quer dizer a mesma coisa, que é um desenho poroso, um desenho rústico, ou um desenho granulado, quero dizer a mesma coisa, que fica com esse aspecto

Normalmente, se você perceber, a maior parte dos desenhos artísticos que são feitos com traços mais rápidos e sombreamento mais solto, ficam com esse aspecto mais rústico, até porque ele não é esfumado, e quando se esfuma, ou seja, quando passa um esfuminho, ou alguma ferramenta para esfumar o desenho, ele perde essa característica dos traços, ou seja, não é que isso aqui é errado, é que é um estilo de sombreamento diferente do que a gente aplica no desenho realista No desenho realista, eu preciso, ou prefiro, trabalhar com o lápis mais em pé, ou melhor, na mesma posição que estou usando esse esse aqui Essa sombra que eu fiz, eu fiz com ele em pé, mas por ele estar com uma ponta muito grossa, não penetra nos poros do papel Se eu pegar esse mesmo lápis e fazer nele uma ponta mais afiada, como essa, e trabalhar com ele na mesma posição, em pé, repare como fica, repare como fica menos poroso Aí você diz: Ah, mas esse aí é outro lápis Realmente, esse lápis aqui é um pouco mais duro, porque ele é um lápis HB, mas eu vou pegar esse outro lápis B, que é o mesmo que eu estava fazendo aqui, vou apontar ele e vou usar essa ponta mais fina e com ele em pé, para você ver o resultado que a gente alcança

Bom, aqui, pra apontar ele eu vou usar o apontador de manivela da Derwent, eu uso muito dessa marca, ou da marca Cis, e esse apontador, é o seguinte, tem que puxar, ele trava e aí, essas duas orelhinha é onde você vai colocar o lápis O lápis vai entrar aqui, e quando você começa a girar a manivela, todo esse mecanismo empurra o lápis, pressiona o lápis para dentro, empurrando ele, e lá dentro tem toda a estrutura que vai girando e tirando o excesso de madeira e grafite, deixando uma ponta afiada Vamos lá Vou puxar pra você ver como isso funciona na prática Bom, puxei aqui, agora vou colocar a ponta e girar

Rapidinho! Olha aí a ponta que ele faz, está vendo? Bem afiada Olha a diferença dessa ponta, para uma ponta de fábrica Esse é o lápis quando está novo, ele vem com essa ponta Um apontador normal, aqueles de depósito, aqueles que você usa na escola Ele faz a ponta parecida com essa aqui, do azul

Esse de manivela faz essa outra ponta, olha a diferença, não só no tamanho, mas também no ângulo, ele fica mais pontiagudo e com isso eu tenho mais precisão para trabalhar o sombreamento Vamos continuar então Agora, com esse mesmo lápis, apontado, é o mesmo lápis que eu fiz esse sombreamento aqui, eu agora vou fazer ao lado, com ele mais em pé, e aqui tem outro macete: Se eu fizer indo e vindo, do jeito que estou fazendo, ele produz um efeito (observe isso aqui) menos poroso que o outro, porém, ainda poroso E se eu fizer, ao invés de indo e vindo, eu fizer numa posição só, apenas subindo, por exemplo, e depois eu venho trançando, deitando um pouco o lápis, inclinando ainda mais o traço, mas tudo em uma só direção, nunca indo e vindo, só indo ou só vindo, mas sempre numa direção só, repara como fica bem menos poroso, está vendo? Então, tudo depende da forma como você usa lápis; a direção que você faz; a ponta, ela tem que estar sempre bem afiada e, de preferência, na mesma posição que você usa para escrever Se eu pego um lápis mais duro, como um H da Staedtler, por exemplo, isso aqui fica ainda menos poroso

Vamos ver mais perto aqui Esse já é um lápis mais duro Então, o que acontece; por ele ser mais duro, e consequentemente mais claro, eu posso forçar um pouco mais ele que ele não vai ficar escuro E também por ser mais duro, vai amassar (ou achatar) ainda mais o granulado do papel, fazendo penetrar melhor o grafite nos poros, que ficam mais baixos, em relação ao granulado do papel, a granulação do papel, Repare como fica bem mais homogêneo Então, pra mim, a melhor posição de usar o lápis, é na mesma posição que se usa para escrever, e sempre de leve

Um exercício que você pode fazer é, pegar um lápis H ou HB, começa um traço mais escuro e vai clareando, com ele em pé mais escuro e vai clareando, com ele em pé Para fazer esse sombreado mais claro, muitas vezes, fazer com ele deitado, segurando o lápis aqui atrás e fazendo com ele deitado, você consegue fazer bem leve, só que, você há de concordar comigo, que se você segurar o lápis com a sua mão mais distante da ponta, menos precisão você vai ter no traço Você consegue leveza, e se for uma região grande, um fundo do desenho, você pode até fazer assim, mas em partes que requerem precisão, é necessário que você trabalhe com lápis mais em pé, porque com ele em pé, se você tiver o controle da leveza da mão, você vai ter, além da leveza, você vai ter precisão para fazer pequenos detalhes como poros na pele, como algum fiozinho, alguma textura, tudo fica mais preciso Outra coisa legal de entender também é que quando você começa um sombreamento, às vezes, na hora que você começa, a impressão é meio estranha, porque ele fica todo rabiscado

Só que você tem que entender que é um processo de construção, ou seja, você tem que ir e voltar naquele mesmo espaço, indo e voltando, às vezes invertendo um pouco, só inclinando um pouco a direção do traço, trançando os traços entre si e formando uma textura mais homogênea Isso vai fechar e provocar uma uma suavidade, sem deixar um aspecto rabiscado do lápis E se você for esfumar, você pega um pedaço de papel higiênico, sombreira, fica liso Esse papel que eu estou usando aqui é o papel Hahnemuhle Nostalgie, vou deixar o link na descrição do vídeo, se você quiser conhecer É importante você ir brincando com esses lápis, não necessariamente dessa marca Mitsubishi, eu uso muito da Staedtler, Esse aqui, por exemplo, 5B esse é o HB, que já está mais mais usado, já está mais gasto esse é o 5B, só que menor, de tanto que eu uso, porque ele é mais macio

E eu uso bastante também nos meus desenhos a lapiseira 05, com grafite 4B, que tem um traço escuro e macio E também, ela deixa uma textura porosa, então é importante, quando você for trabalhar com a lapiseira num papel que seja pororo, é legal você usar antes um lápis HB, por exemplo, porque aí, você deixa a textura um pouco mais lisa e depois você vem com a lapiseira por cima Vou dar um exemplo; aqui usei o lápis H e aí eu nem colapso era por cima Aí, o que faz parecer que não fica tão granulado, é porque quando eu passo a lapiseira, aqui o fundo era branco, então os poros continuam brancos

Aqui os poros já estão cinza, então, quando eu passo a lapiseira, continua poroso, mas, pelo fato dos poros estarem cinza, eles não ficam tão brancos e não realçam tanto quanto esse Então, é legal você fazer um fundo, e depois, se você quiser, passar o esfuminho, o pincel, papel higiênico, isso pode ser o assunto de um outro vídeo, onde eu posso mostrar o que cada um produz Repara como fica homogêneo, a gente consegue um resultado bem bacana Ok? Bom, é isso Espero que você tenha gostado desse vídeo, se você gostou, deixa o seu like aí, se inscreva no nosso canal e deixe seus comentários, dando sugestões de novos vídeos que a gente pode estar gravando, para esclarecer a dúvida da galera que está começando no desenho realista

Um grande abraço e até o próximo vídeo!

Prática – Como usar o lápis no Desenho Realista – Charles Laveso
4.9 (97.78%) 9 votes